maio 07, 2017

Viver sempre também cansa


Viver sempre também cansa!
O sol é sempre o mesmo e o céu azul
ora é azul, nitidamente azul,
ora é cinza, negro, quase verde...
Mas nunca tem a cor inesperada.
O Mundo não se modifica.
As árvores dão flores,
folhas, frutos e pássaros
como máquinas verdes.
As paisagens também não se transformam.
Não cai neve vermelha,
não há flores que voem,
a lua não tem olhos
e ninguém vai pintar olhos à lua.
Tudo é igual, mecânico e exacto.
Ainda por cima os homens são os homens.
Soluçam, bebem, riem e digerem
sem imaginação.
E há bairros miseráveis, sempre os mesmos,
discursos de Mussolini,
guerras, orgulhos em transe,
automóveis de corrida...
E obrigam-me a viver até à Morte!
Pois não era mais humano
morrer por um bocadinho,
de vez em quando,
e recomeçar depois, achando tudo mais novo?
Ah! se eu pudesse suicidar-me por seis meses,
morrer em cima dum divã
com a cabeça sobre uma almofada,
confiante e sereno por saber
que tu velavas, meu amor do Norte.
Quando viessem perguntar por mim,
havias de dizer com teu sorriso
onde arde um coração em melodia:
"Matou-se esta manhã.
Agora não o vou ressuscitar
por uma bagatela."
E virias depois, suavemente,
velar por mim, subtil e cuidadosa,
pé ante pé, não fosses acordar
a Morte ainda menina no meu colo...


José Gomes Ferreira

Porque sou tão sábio


Não serão por mim erigidos novos ídolos; os antigos podem elucidar-nos sobre o que assenta em pés de barro. 

A Nightmare on Alvalade Street



ler tudo aqui...

abril 11, 2017

Lá, onde queimam livros, acabam por queimar homens*


últimas aquisições para a estantina:



Este último, edição brasileira, foi cortesia de mão amiga. Parece que em breve teremos a necessária edição portuguesa com a chancela da Antígona. Estamos a dever umas quantas ao Galeano...

* Heinrich Heine 

março 30, 2017

Hoje amanheceu cedo, mas depois aconteceu isto:



Got to the driver of my car, an' past the dogs, past the guards
And all of my alarms supposed to be so state of the art
You penetrate my radar, you penetrate my radar
You drop a bomb in my backyard, you penetrate my radar(...)


I got all the time in the world

I got all the time in the world to spare