agosto 27, 2008

Um passeio em Madrid

"Maja Desnuda", Goya
Na segunda parte o Sporting ganhou dois a zero aos parolos do real madrid (assim mesmo com minúsculas). 
Gostei mais da primeira (cinco a um para os outros). Como sportinguista aprecio o sofrimento e o desleixo. Queriam uma equipa pequenina a esfarrapar-se contra um golias de meia tigela, embalsamado numa fruteira ricaça de gosto duvidoso? O comentador, atento, ter-se-á referido a um “desleixo inconcebível”, o qual, nestes casos, parece, costuma “ser fatal”. O gajo deve ser do “glorioso”, esse mesmo que levou QUATRO a ZERO em 1996 disputando o mesmo troféu. A memória, curtíssima, resvalava, no mesmo sentido, num comediante “malucos do riso” que aventava curiosas vitórias do FCP contra o real de madrid, entre cervejas e o Mário Jardel. Isto na tasca do porcalhoto. Afinal, futebolisticamente (coisa que domino como o controlo dos meus intestinos), a primeira parte revelou-se inócua e fria nas nossas hostes: alguns maus jogadores; uma “grande penalidade” inexistente; um golo na própria baliza. Mais valia terem ido ao Prado ver a Maja.

Um comentário:

flavio lopes da silva disse...

olá gabriel p. li o teu blog e, é um espaço que recomendarei a bloguistas.
gostei do que li e das estórias realisticamente ficcionadas.
um abraço